top of page
Buscar
  • indaiatubapibi

Vamos falar sobre dinheiro?


Esse é um dos assuntos mais controversos dos nossos dias. Existem aqueles que consideram o dinheiro pernicioso. Por outro lado, existem aqueles que o abraçam avidamente sem reservas.


Sendo assim precisamos nos debruçar sobre as Escrituras para saber o que Deus pensa sobre o dinheiro e assim honrá-lo com aquilo que Ele tem nos dado.


Para tanto, podemos verificar o que o livro de Provérbios fala sobre o assunto. Provérbios é o livro que nos ajuda a ter sabedoria nas coisas práticas da vida, a fim de que possamos viver de acordo com a vontade de Deus.


Preparado? Vamos lá!


Para alguns que consideram que o dinheiro é um mal em si mesmo, pode parecer surpreendente, mas o livro de Provérbios não condena o dinheiro. Devemos ser diligentes no trabalho, mas também lembrar que os recursos vêm de Deus. Nas palavras de um teólogo puritano, “em nossas ocupações, estendemos nossas redes; mas é Deus quem põe nas nossas redes tudo que vem nelas”. Cotton Mather.[1]


Dessa forma, a grande questão não é o dinheiro em si mesmo, mas como lidamos com ele e como o usamos.


É nesse sentido que Provérbios nos instrui a honrar ao Senhor com nossos recursos.


Pv 3.9,10;

“Honra o SENHOR com teus bens e com as primícias de toda a tua renda; assim os teus celeiros se encherão com fartura, e os teus lagares transbordarão de vinho.” (Pv 3.9,10).


Perkins, pastor inglês do séc. XVII, disse o seguinte:


“Os que têm riquezas devem considerar que Deus não é apenas o Senhor soberano, mas o Senhor de suas riquezas, e que eles mesmos são apenas mordomos de Deus, para empregá-las e dispensá-las de acordo com a vontade dEle e, além disso, de que devem dar conta a Ele daquelas riquezas, que têm e usam.” Willian Perkins.[2]


Dessa forma, não podemos encarar os recursos como um mal em si mesmo. Ao contrário, eles são dados por Deus e, como tal, deve ser usado para honrar ao Senhor.


Entretanto, existem várias advertências quanto ao uso do dinheiro. Provérbios nos oferece vários alertas. Vejamos hoje um desses alertas:



1- O dinheiro não é o bem mais preciso da vida, existem coisas mais importantes.


· O temor do Senhor é melhor

Pv 15.16

"Melhor é ter pouco com o temor do SENHOR do que ter um grande tesouro acompanhado de inquietação."


· A justiça é melhor

Pv 16.8

"Melhor é o pouco com justiça do que grandes rendas com injustiça."


· A verdade é melhor

Pv 19.22

"O que o homem mais deseja é o que lhe faz bem; porém é melhor ser pobre do que mentiroso."


· A sabedoria é melhor

Pv 16.16

"É bem melhor adquirir sabedoria do que ouro! É bem melhor escolher entendimento do que prata!"


Pv 20.15

"O ouro e as muitas pedras preciosas são conhecidos, mas os lábios que trazem conhecimento são joia de grande valor."


· Ter um bom nome é melhor

Pv 22.1

"É muito melhor ter um bom nome do que grandes riquezas, e ser estimado é melhor do que a prata e o ouro."


· A integridade é melhor

Pv 28.6

"É melhor o pobre que vive com integridade do que o rico perverso nos seus caminhos."



Consideremos então: O temor do Senhor, justiça, verdade, sabedoria, ter um bom nome e integridade é melhor do que ter bens.


Sendo isso verdade, precisamos considerar quão os bens estão no “top 1” de nossa escala de valores. O quanto a nossa vida está direcionada para adquirir recursos?

Uma forma de avaliar isso é considerar o quanto do nosso tempo, esforços, talentos, empregamos para adquirir dinheiro. Se a aquisição de recursos emprega grande parte de nossas preocupações, ao ponto de tirar até mesmo o nosso sono, isso pode ser um indicador de que o dinheiro assumiu uma posição no ranking de nosso coração que não deveria estar.


Na próxima semana continuaremos a pensar sobre esse importante assunto, a partir do livro de Provérbios.


pr. Nelson Galvão


Referências [1] Ryken, Leland. Santos no Mundo: Os Puritanos como Realmente Eram (pp. 129-130). Editora Fiel. Edição do Kindle [2] Ibid

102 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Kommentare


Post: Blog2 Post
bottom of page