top of page
Buscar
  • indaiatubapibi

Que preguiça!


Que preguiça! O despertador o acorda como de costume, 5h30. Em frações de segundos você se deixa levar pelo desejo, “mais forte que você”, de ficar na cama.


A partir daí você começa a pensar em qual desculpa dará. Quem sabe um resfriado, ou o pneu do carro furou, ou teve que levar a sogra mais uma vez para o médico. Bem, eu tenho uma sugestão para acrescentar a essa lista: tem um leão lá fora! Sim, você leu bem, leão!


Na verdade, essa não é uma sugestão minha, é a desculpa do preguiçoso, conforme descrito pelo livro de Provérbios: “O preguiçoso diz: Há um leão no caminho; há um leão nas ruas.” (Pv 26:13).


Parece cômico, não é? Mas isso faz parte do alerta que o livro de Provérbios dá quanto à preguiça.


Através do livro de Provérbios temos visto o que significa honrar ao Senhor com nossos recursos. Já vimos que significa: (1) entender que o dinheiro não é o bem mais precioso da vida; (2) é mais importante “como ter” do que “ter”; (3) cuidado com a cobiça.


Hoje veremos que a preguiça é uma forma de não termos recursos que podem ser usados para honrar a Deus. Vejamos:


· O preguiçoso empobrece

Pv 6:9-11

Ó preguiçoso, até quando ficarás deitado? Quando te levantarás do teu sono? Um pouco para dormir, um pouco para cochilar, um pouco para descansar de braços cruzados. A tua pobreza te sobrevirá como um ladrão, e a tua necessidade, como um assaltante.


Pv 10.4

O que trabalha com indolência empobrece, mas a mão do diligente enriquece.


Pv 12.24

As mãos dos diligentes governarão, mas o preguiçoso se tornará escravo.


Pv 19.15

A preguiça faz cair em sono profundo, e o preguiçoso passará fome.


Pv 20:4

O preguiçoso não lavrará por causa do inverno, pelo que mendigará na sega, mas nada receberá.


Pv 20.13

Não ames o sono, para que não empobreças; abre teus olhos e terás fartura de alimento.


Pv 23.21

Porque o beberrão e o comilão caem na pobreza, e a sonolência cobrirá o homem de trapos.


Pv 24:30-34

Passei junto ao campo do preguiçoso e junto à vinha do homem sem entendimento; e estava todo cheio de espinhos; sua superfície estava tomada pelas urtigas, e o seu muro de pedra estava derrubado. Observando aquilo, refleti, e olhando, obtive instrução. Um pouco para dormir, um pouco para cochilar, um pouco para cruzar os braços em repouso; assim chegará tua pobreza como um assaltante, e tua miséria, como um homem armado.


Pv 28.19

Quem lavra sua terra se fartará de alimento, mas quem segue os preguiçosos se encherá de pobreza.



· O preguiçoso é insensato

Pv 12.11

Quem cultiva sua terra terá fartura de alimento, mas quem segue o preguiçoso não tem entendimento.


Pv 6.6

Preguiçoso, vai ter com a formiga, observa os seus caminhos e sê sábio.

Ela, mesmo não tendo chefe, nem superintendente, nem governante, faz a provisão do seu mantimento no verão e ajunta o seu alimento no tempo da colheita.


· O preguiçoso traz grande irritação para seus empregadores

Pv 10:26

Como vinagre para os dentes, como fumaça para os olhos, assim é o preguiçoso para aqueles que o mandam.


· O preguiçoso deseja sem adquirir

Pv 13:4

A alma do preguiçoso deseja, e coisa nenhuma alcança, mas a alma dos diligentes se farta.


Pv 21:25

O desejo do preguiçoso o mata, porque as suas mãos recusam trabalhar.


· O preguiçoso é arrogante

Pv 26.16

O preguiçoso considera-se mais sábio do que sete homens que sabem responder bem.


· O preguiçoso prejudica sua própria casa

Pv 15:19

O caminho do preguiçoso é cercado de espinhos, mas a vereda dos retos é bem aplanada.


Pv 24:30

Passei junto ao campo do preguiçoso e junto à vinha do homem sem entendimento; e estava todo cheio de espinhos; sua superfície estava tomada pelas urtigas, e o seu muro de pedra estava derrubado.


· O preguiçoso ama o sono

Pv 26:14,15

Como a porta gira sobre dobradiças, assim o preguiçoso se vira na cama. O preguiçoso leva a mão ao prato e nem ao menos quer levá-la à boca.


· O preguiçoso inventa desculpas para não trabalhar

Pv 22:13

Diz o preguiçoso: Um leão está lá fora; serei morto no meio das ruas.


Pv 26:13

O preguiçoso diz: Há um leão no caminho; há um leão nas ruas.



Diante desse quadro levantado pela sabedoria bíblica precisamos considerar algumas coisas:


1- Nem todo pobre é preguiçoso. Existem outros motivos que levam à pobreza (calamidades naturais, injustiças sociais, desemprego, etc).


2- Se a pobreza de alguém é causada pela preguiça, então o auxílio mais adequado é a exortação com vistas ao arrependimento (expresso pelo trabalho), e não doações de alimentos, ou auxílio moradia, vale gás, etc. Sendo assim, o Estado fracassa em políticas públicas que, em última estância, podem premiar a preguiça.


3- O trabalho é propósito de Deus para o homem, não é fruto do pecado. Através do trabalho glorificamos a Deus, temos o sustento para a nossa família, os recursos para uma vida mais confortável e as condições para o auxílio àqueles que sofrem. Ou seja, para o cristão, o trabalho glorifica a Deus e beneficia a sociedade. De acordo com William Perkins:


“Uma vocação ou chamado é um certo tipo de vida, ordenado e imposto ao homem por Deus, para o bem comum... Toda pessoa de todo grau, estado, sexo ou condição, sem exceção, deve ter algum chamado pessoal e particular em que caminhar”.[1]


Sendo assim, a preguiça se contrapõe à vontade de Deus e, como tal, é insurreição contra Deus. Dessa maneira, o preguiçoso precisa ser exortado e se arrepender à luz do Evangelho do Senhor Jesus Cristo. A questão envolve arrependimento e fé no sacrifício do Senhor Jesus. Cotton Mather disse o seguinte:


“Um verdadeiro crente... vive na sua vocação pela sua fé. Não apenas minha vida espiritual mas até minha vida civil neste mundo, e toda a vida que vivo, é pela fé no Filho de Deus: ele não isenta qualquer parte da vida da agência de sua fé.[...] Um cristão deveria ser capaz de prestar boa conta não somente do que é sua ocupação, mas também do que é na sua ocupação. Não é bastante um crente ter uma ocupação; ele deve cuidar de sua ocupação como convém a um crente”.[2]


Dito isso precisamos ainda considerar que a preguiça não se da somente na área econômica, ela se manifesta em diversas áreas da vida. Vejamos:


-O estudante que procrastina seus trabalhos acadêmicos e “mata” seu tempo de estudo;

-A mãe que deixa seus filhos na creche para poder ter mais “tempo livre”;

-O pai que não disciplina seu filho porque isso “dá muito trabalho”;

-O marido que perde seu fim de semana maratonando séries e negligencia serviços domésticos;

-Os pais que não ensinam as Escrituras para seus filhos, preferindo terceirizar isso para os professores de EBD;

-Os pais que nem mesmo levam seus filhos para a EBD, afinal, teriam que acordar cedo no domingo!;

-Aqueles que não estudam as Escrituras, porque não “gostam de ler/estudar”.

-Aqueles que não cooperam em convocações de mutirões da igreja, porque isso lhes traria “muita fadiga”!


Em que área a preguiça tem se manifestado em nossa vida? Aviso, essa reflexão da trabalho! Aliás, se você chegou ao fim dessa longa leitura, parabéns!!! Certamente você não é preguiçoso (a)! Só espero que não tenha pulado partes, afinal, ler dá trabalho!


pr. Nelson Galvão



Referências [1] Ryken, Leland. Santos no Mundo: Os Puritanos como Realmente Eram (p. 70). Editora Fiel. Edição do Kindle [2] Cotton Mather . Ryken, Leland. Santos no Mundo: Os Puritanos como Realmente Eram (p. 64). Editora Fiel. Edição do Kindle.

84 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


Post: Blog2 Post
bottom of page