top of page
Buscar
  • indaiatubapibi

O que faremos?


No último domingo pedi para o Marzo fazer um apanhado geral sobre tudo o que temos estudado nos últimos 2 anos, em nossa igreja. Que alegre constatação! Aos domingos, já foram expostos os livros de Rute, Filipenses, Efésios, Genesis 1-11, 1 Pedro e Marcos (a exposição de Daniel e Atos está em andamento). Além disso, temos tido todos os outros encontros da igreja (juventude, casais, pequenos grupos), em que temos tido a oportunidade de estudar a Palavra de Deus.


Como pastor fico muito feliz de ver isso acontecendo em nossa igreja. Por que eu sei que é o estudo sério da Palavra de Deus que nos ensina, repreende, corrige e instrui em justiça (2 Tm 3.16).


Entretanto, na exposição de Atos 2, me ocorreu a seguinte pergunta: Qual tem sido a nossa reação à Palavra de Deus? Essa pergunta me veio ao coração, ao pensar em At 2.37. Pedro acabara de pregar a Palavra de Deus e Lucas registra a reação dos ouvintes. Eles ficaram compungidos em seu coração (At 2.36) e perguntaram a Pedro: “Irmãos, o que faremos?” (At 2.37).


A pregação da Palavra exorta os homens, os conclamando ao arrependimento e fé em Cristo. Diante dessa pregação existem duas reações: rejeição ou acolhimento.


Jesus falou sobre isso na parábola do semeador (Mc 4.1-20). Ele ensinou sobre quatro tipos de solos que retratam a reação das pessoas ao Evangelho.


As reações ao Evangelho continuam as mesmas em nossos dias. Existe aqueles que o rejeitam diretamente. Há também aqueles que o recebem, mas as pressões do dia a dia o desanimam quanto ao Evangelho. Outros, cujo coração é escravizado pelas ambições da vida e desejam as coisas desse mundo, terminam se afastando. Por outro lado, existem queles que ouvem a voz do Rei. Estes crescem, dão frutos, e glorificam ao Senhor.


Foi exatamente isso que aconteceu com a pregação apostólica em Atos. Alguns rejeitavam, mas outros acolhiam a Palavra e diziam: “irmãos, que faremos?”.


Temos visto isso acontecer também em nossa igreja. Infelizmente alguns têm rejeitado a Palavra de Deus e saem da igreja. Preste bem atenção no que estou dizendo. Claro que não estou dizendo que todos que saem, o fazem porque rejeitam a Palavra. O que afirmo é que alguns, embora os motivos apresentados sejam dos mais diversos, a verdade é que têm rejeitado a Palavra de Deus. E o mais triste ainda é que isso não acontece somente em nossa igreja, mas em todas as verdadeiras igrejas pelo mundo.


Por outro lado, o contrário também é verdade. Existem aqueles que acolhem a Palavra. Estes têm amadurecido na fé e têm dado muito fruto! Temos tido a alegria de ver em nosso meio casamentos restaurados, pais mudando a sua atitude com seus filhos, filhos se submetendo aos seus pais, jovens sedentos pela Palavra de Deus, homens acertando sua maneira de tratar a esposa e os filhos, mulheres entendendo o design divino quanto à feminilidade e mudando sua relação com seus maridos, inúmeros irmãos compartilhando o verdadeiro Evangelho em suas famílias, ambiente de trabalho e escolas.


Esse é o movimento da Palavra que tem sacudido a nossa igreja e nos feito sair da nossa zona de conforto.


Tendo isso em vista, quero encorajá-lo a se juntar a nós nesse movimento de acolhimento da Palavra de Deus. Perceba que eu usei a palavra “acolhimento”. Isso porque não se trata meramente de ouvir, mas de acolher. E aqui vai algumas dicas para você colocar em prática esse acolhimento da Palavra de Deus:


1- Entenda que a Escritura é a Palavra do Nosso Rei. Não se trata de dicas para o melhor viver. Sendo assim, aqueles que a rejeitam, rejeitam o Rei.

2- Anote as mensagens. Revise-as durante a semana e faça devocionais nelas.

3- Diante da mensagem, não se justifique ("se tivesse no meu lugar eu queria ver"; "é, mas fulano não faz isso"; "a culpa é de Eva").

4- Esteja atento quanto ao seu relacionamento com o pregador. Não precisa ser amigo íntimo, mas se você evita ter contato com ele, talvez seja porque você está rejeitando a mensagem.

5- Verifique constantemente que mudanças na sua vida você tem experimentado. (relacionamento com o cônjuge, filhos, igreja). Se você continua o mesmo ao longo dos anos, algo está errado!


Por fim, verifique se sua reação à pregação da Palavra de Deus tem sido constantemente: “Irmãos, o que faremos?”.


Pr. Nelson Galvão


92 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Coragem!

Post: Blog2 Post
bottom of page