top of page
Buscar
  • indaiatubapibi

O caminho da obstinação


Você é obstinado? De acordo com o dicionário, “obstinação” é afeição excessiva às próprias convicções, ideias, pensamentos. Quando isso se dá no que tange à Palavra de Deus, é firmeza, perseverança! Entretanto, quando essa firmeza se dá em relação a pensamentos e atitudes pecaminosos, então trata-se de obstinação.


Em Genesis 5 vemos a história trágica da obstinação de Caim que o levou a praticar o primeiro fratricídio da história humana e, por fim, a viver em condenação.


Caim matou seu próprio irmão. Qual razão? Porque Abel creu no Senhor, e por isso ofereceu oferta agradável ao Senhor (Hb 11.4). Por outro lado, Caim teve sua oferta recusada porque esta não foi a expressão de confiança no Senhor.


Porque sua oferta foi recusada por Deus, Caim ficou furioso. Ele queria cultuar a Deus à sua própria maneira, do seu próprio jeito. Ele queria determinar como iria servir ao Senhor. Então criou a sua própria religião, nos seus próprios termos.


Veja novamente a definição de “obstinação” no início desse texto. Sim, Caim estava obstinado com a ideia de que Deus deveria ter aceitado a sua oferta.


O que era de se esperar de Caim diante de sua atitude? Arrependimento. Voltar-se para Deus em fé, confessar sua incapacidade e crer na provisão de Deus.


Mas, não foi isso que Caim fez! Qual foi a atitude de Caim diante da Palavra de Deus? Ele continuou obstinado, resoluto em seu caminho de rebeldia.


A rebeldia humana contra o Bom Deus chega a proporções trágicas quando não nos voltamos a Ele em arrependimento.


Vejamos ainda a continuação da narrativa de Genesis 5, e para onde o caminho de obstinação de Caim o conduziu.


A obstinação de Caim o fez: ignorar a exortação de Deus (Gn 5.7,8); se lançar como inimigo de seu irmão que havia crido no Senhor (Gn 5.8); se endurecer a ponto de tornar-se cínico em relação à exortação de Deus (Gn 5.9); acusar Deus de ser injusto, duro demais (Gn 5.13,14); viver separado de Deus e para si mesmo (Gn 5.16,17).


Diante de tudo isso, qual foi a atitude de Deus para com Caim? Caim foi condenado a viver errante, dominado por uma mente inquieta e temerosa (Gn 5.1-12).


Deus não relativizou o pecado de Caim. O Senhor não tratou Caim como vítima. Não disse que Caim era uma vítima dos erros de criação de Adão e Eva, ou que Caim havia agido daquela forma por conta das más companhias.


Queridos irmãos, que o Senhor nos livre de um coração obstinado no pecado! Que a operação do Espírito Santo em nós nos leve a cada dia mais a confiarmos na provisão de Deus para a nossa redenção, Jesus Cristo; e a acolher a Palavra de Deus para a nossa transformação. Que o Espírito Santo nos faça cada dia mais humildes de espírito, chorar pelo nosso pecado e depender unicamente de Cristo para a nossa comunhão com Deus (Mt 5.3-5).


Pr. Nelson Galvão

25 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


Post: Blog2 Post
bottom of page